INSIGHTS  →  MATÉRIA

Naming é estratégia

Compartilhar:

3 de fevereiro de 2022

Palavras já se mostraram valorosas diversas vezes na história. Quando falamos da construção de Marcas, atração de audiências e vendas em um mundo cheio de barulho, o nome é a principal característica no sistema de um negócio

A arte criativa de conceber nomes às coisas não é tão simples como se imagina. Quantas vezes você já se encontrou na frente de uma folha em branco, pensando em um novo projeto, produto ou até mesmo uma marca? Na nossa jornada, com especialistas em Branding e Naming traçamos algumas possibilidades de construção de nomes para Marcas, por exemplo: descritivo (como no caso da Apple), sugestivo (Amazon) ou abstrato (Häagen Dazs). 

A partir disso, as organizações podem entender o nome como o pontapé inicial para um propósito de marca, ou um estilo de logo e de design próprio. O nome dá possibilidades que são diversas e pode ajudar tanto no universo visual, quanto no verbal, principalmente se comportado e aliado da estratégia.

Não há jeito certo e errado de construir ideias para nomes. Porém, existem processos e ferramentas que nos ajudam a ser mais estratégicos. Afinal de contas, nomes não podem ser baseados em achismo, nem inspiração, mas sim, um trabalho estratégico.

O objetivo precisa ser chegar a quantidade máxima de ideias para quebrar padrões, gerar ideias que surpreendem e construir novas concepções e significados. Isso é o que um bom naming pode fazer pela sua marca e para a cultura da organização.

Nas principais abordagens de nomenclatura, a maioria dos especialistas concordam com um processo geral, que encontra-se em geração de ideias, filtragem, análise das palavras e assim, apresentar as melhores escolhas para o cliente e colegas de trabalho.

Apesar das etapas, existem diferentes tipos de processo para a geração de nomes. Geralmente começa assim que entendemos a marca por completo e dessa forma, um plano para nomenclaturas é construído. Uma vez entendido todos os pontos, sobre o que se espera de um naming a ser desenvolvido, a geração de ideias e a construção criativa torna-se muito mais simples.

 A criação de nomes pode ser conduzida por nomeadores individuais, em um ambiente de grupo, ou alguma combinação dos dois. Idealmente, várias ideias de nomes podem e devem estar presentes durante a geração de nomes para maximizar a exploração e diversidade de ideias, no entanto, o recorte faz parte do processo criativo e decisório.

O que nos traz a segurança de fazer bons namings é sempre priorizar o diagnóstico, entendendo o cliente, cultura e marca, com atenção às informações  e ao processo minucioso que requer uma construção de palavras, para passar alguma mensagem, afinal, nomes são a primeira impressão de uma marca.